E o que está Dentro é como o que está Fora

Uma das propostas do Hermetismo é se valer do que está acontecendo no ambiente externo para compreendermos, equilibrarmos ou nos harmonizarmos internamente com as energias que o macro nos propõe.

Tanto com indicativos de que estamos no caminho real, quanto no sentido de apresentar correções que devemos nos fazer, e estas, para o hermetismo, correspondem tão somente àquelas que devemos realizar para sermos mais quem verdadeiramente somos e menos produto das mentiras às quais o ego se apega para sobreviver.

Neste sentido, portando das correções que devemos nos fazer para sermos o que essencialmente somos, situações podem se apresentar de forma estereotipada, como uma brincadeira trazida pela essência para que o ego se incomode. A estereotipação é necessária quando a sutileza dos sinais antecedentes não foram percebidos, daí o absurdo de situação, o absurdo de pessoa, o absurdo de lugar ou o absurdo de experiência: o incômodo, o grande incômodo, único capaz de levar sua atenção, mesmo que de forma confusa, para o que é importante de verdade: EXISTE ALGO AQUI QUE PRECISA SER COMPREENDIDO E INTEGRADO.

Uma de minhas alunas teve essa experiência recentemente com uma colega de turma, ambas estudam comigo e devem realizar um exercício em dupla que exige a colaboração da parte que doa e da parte que recebe. Neste exercício, a parte que deveria estar receptiva mostrou-se insatisfeita com os resultados alcançados, pois não conseguia perceber nenhum benefício com a proposta mágica que foi realizada e pior, ainda perdeu a voz. Depois de conversarem, conseguiram se acertar para compreender os significados do que aquela experiência significava para a parte receptiva e o foco da atenção de ambas estava centrada neste ponto receptor. Quando houve um acordo entre elas, perguntei à parte doadora como ela compreendia esse movimento da colega e ela compreendeu que a parte receptora estava resistente à mudanças, da mesma forma que estava resistente a trabalhar as questões que seriam exigidas para que ela alcançasse o que quer. Concluiu o raciocínio entregando seu próprio ego: “Estou fazendo o que posso, mas se ela não quer mudar ou não percebe como a mudança está ocorrendo o máximo que posso fazer é tentar mostrar… Minha parte estou fazendo e quero continuar”.

Ao trazer este último parágrafo pra consciência, eu pude lhe perguntar: “Em qual aspecto da sua vida você está resistente à mudanças e renascimentos? Do que você precisaria para realizar a mudança necessária neste aspecto que você resiste? De que tipo de intervenção? Não estou fazendo outra coisa senão te orientando. Vamos ver como essa resistência da outra parte tem a ver com você. Lembre-se que você escolheu alguém, que por acaso se chama Maria, para te mostrar algo de si. E aí, como essa resistência estereotipada da tal da Maria tem analogia com alguma resistência mais escondida sua?”. Então foi possível ela perceber algo importante que nos levaria a outro ponto, ainda mais importante: “Estou resistindo à mudança de emprego para enfim me dedicar ao que eu gosto e tenho certeza que sei fazer muito bem mas sou insegura, não valorizo e não sei por onde começar. Eu só vou adiando, adiando, adiando. As contas para pagar me seguram pois, apesar de tudo, empresa grande me traz retorno em muitos aspectos mas outros não. Preciso de segurança emocional e financeira pra isso ocorrer”, ela respondeu.

Esta informação a respeito de si é muito importante, mas a que pode ser desenvolvida a partir dela é ainda mais, pois resolver a questão do trabalho é importante situacionalmente, mas a possibilidade, de ao compreender os medos, os impedimentos, as angústias e a dor que a parte receptora pode estar manifestando através de sua resistência, é muito mais mágico, pois essa é a possibilidade de compreender o outro através de si e se compreender através do outro. Isso é empatia. Isso é hermetismo. Crescer através do externo e permitir que o externo cresça através de você.

E é assim que os rituais de Ayahuasca com base Hermética funcionam. Não com correspondências tão particulares, mas nós nos valemos da energia natural que o externo, o macrocosmo, está nos oferecendo, para aprendermos e nos curarmos através da sabedoria e da integração com aquela energia, dentro e fora de nós.

Neste próximo ritual trabalharemos com as energias do elemento Terra, o signo de Virgem e seu regente Mercúrio. Apesar da Terra ter a lentidão e solidez como características, aqui temos a flexibilidade e a agilidade de Mercúrio atuando. Temos, então, uma Terra com bastante movimento, adaptável, potencializando o aspecto prático desse elemento. Uma janela energética que é propícia para dinamizar o Fazer.

Mercúrio também nos traz o aspecto mental, o saber e aprender pertinentes ao Deus da Comunicação. Portanto, ao invés de uma Montanha, temos blocos, pedaços móveis que podem ser organizados deliberadamente para Construção e Concretização de algo planejado.

Se você deseja participar deste ritual mas ainda não participou de nossa Reunião de Anamnese obrigatória, não perca a oportunidade. Abaixo seguem informações de ordem prática e organizacional sobre estes próximos eventos:

  • Dia 26/08, à partir das 21h – Ritual de Ayahuasca: Virgem, Terra e Mercúrio

Participação: 100,00 – Inscrições até 21/08: 95,00
Vagas: 20 participantes

  • Dia 22/08, das 19:30 às 21:30 – Reunião de Anamnese para os rituais de Ayahuasca

Participação: 20,00 no dia – Inscrições concluídas até 21/08: 15,00
Vagas: 20 participantes

carol

Sobre a autora - Carolina Scodeler

Tem 30 anos, formada em psicologia e, atualmente, atua na área alternativa, trabalhando com a Terapia Reencarnacionista. Seu foco é promover reflexões auxiliando o autoconhecimento, expansão da consciência e reforma íntima. Atua também como Presidente e Coordenadora Pedagógica do Templo AyaSofia. Supervisiona o trabalho dos neófitos das Grades Iniciáticas e ministra aulas de desenvolvimento magístico e hermético para as turmas já iniciadas. É também dirigente dos trabalhos de Ayahuasca realizados mensalmente na sede do Templo. Envolvida com o desenvolvimento esotérico desde os 16 anos, entre ordens, grupos e cursos, conta com 14 anos de estudos e 6 anos de experiência na condução dos trabalhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *